5 de agosto de 2008

Novela Pantanal faz sucesso

Pantanal faz sucesso

Atores pegam carona na reprise da novela, 18 anos depois da primeira exibição

ETIENNE JACINTHO - Agência Estado

“Tibério! Tibério!”, grita o público, quando Sérgio Reis sobe ao palco em sua turnê pelo Brasil. Para quem não sabe, Tibério é o nome do personagem do cantor na novela Pantanal. O folhetim de Benedito Ruy Barbosa foi ao ar na extinta TV Manchete em 1990. Produto da Massa Falida da rede dos Bloch, o folhetim foi parar no SBT e lá está em reprise desde 9 de junho. Na semana passada, bateu recorde de audiência na TV de Silvio Santos, com 18 pontos de média — estreou com 8. “Nos shows, todos pedem as músicas de Pantanal”, diz.

O cantor diz que só tem motivos para comemorar a reprise. Silvio Santos, além de pagar o cachê a que o cantor tem direito, ainda lhe encomendou canções para a trilha sonora de Revelação, novela de Íris Abravanel que deve estrear em breve no SBT e contará com um núcleo rural. “Também vou fazer um especial de fim de ano na Record”. Quando questionado se a reprise da novela abre portas para o artista, a resposta é rápida: “Com certeza! Quem não é visto, não é lembrado!”

E o sertanejo não foi o único a ser lembrado. Luciene Adami também tem sido chamada de Guta, sua personagem na trama, onde quer que vá. E mal a novela começou a ser reprisada, um e-mail sobre a atriz chegou às redações de jornais. “Esse é um trabalho incrível”, fala Luciene, que nunca esteve distante da TV. Sua última novela foi Cristal, no SBT, há dois anos. Atualmente, ela é a hostess do espetáculo Terça Insana e está ensaiando a peça As Pontes de Madison.

PAGAMENTO

Com Luciene, que fez três novelas no SBT, Silvio Santos não economizou verba. “Fiquei surpresa porque recebi tudo o que estava no contrato e ainda me chamaram para pagar um excedente”, conta a atriz. “Por mim, a novela tem de passar inteira. Não sei porque encrencaram. Nesse trabalho, todo mundo foi feliz”, fala Luciene sobre a ação que o autor Benedito Ruy Barbosa move contra o SBT para tirar a novela do ar.

Já Antônio Petrin, que viveu Tenório, o pai de Guta em Pantanal, prefere não opinar sobre o processo judicial, mas diz que acha “ótimo” esse retorno 18 anos depois. “Pantanal foi um fenômeno. A paisagem é maravilhosa e o folclore daquela região também”, comenta o ator, hoje reconhecido como Tenório nas ruas. “E veja que estou com essa barba branca... Mesmo assim, me reconhecem." Na trama, Tenório mantinha duas famílias.


Além de lucrar com a exibição do folhetim de maior sucesso da TV Manchete — a novela entrou no ar sem anunciantes e hoje provoca fila de candidatos ao intervalo comercial —, Silvio ainda está promovendo os atores e a trilha da Revelação, de sua mulher, antes de a trama ir ao ar.
Diretor rompeu com a ‘ditadura’ do estúdio

Embora o nome do autor seja sempre a referência mais forte na criação de qualquer telenovela, a associação de Pantanal ao diretor é latente. Produção que marcou território na história do gênero ao romper com a ditadura do estúdio, o folhetim escancarou longos takes de rios, tuiuiús, araras, cobras e mato a perder de vista. Essa concepção estética foi obra de Jayme Monjardim. Que novela se deu ao luxo de dedicar tanto tempo à fauna e à flora, sem diálogos, só com trilha sonora de fundo, e sem despencar no ibope?

Agência Estado — O que você está achando da reprise de Pantanal no SBT? Jayme Monjardim — Estou superfeliz. Sabe, muita gente me ligou perguntando se eu iria processar o SBT, mas não tem nada a ver. Essa novela foi um marco na minha carreira. Foi um momento importante e 18 anos depois ela continua atual. Há hoje uma discussão ecológica que não se via na época.

Os atores te ligaram para comentar a reexibição?

Olha, alguns atores me disseram que acharam ótima essa reprise e outros, não. Para mim, Pantanal só traz coisas boas.

O SBT pagou os seus direitos?Está tudo certo comigo e com os atores. Há até anúncio no site do SBT para que os atores recebam o dinheiro.

Você tem contato com os atores que trabalharam com você? Nossa, muito. Falo com a Crica (Cristiana Oliveira, que fez o papel de Juma) até hoje...Você esperava que a reprise tivesse um desempenho tão bom em ibope (18 pontos de média)?A novela está conquistando outra geração.

Ela é praticamente inédita para os jovens. Na verdade, acho que não vai dar 18 pontos; acredito que se estabeleça nos 20, 21, 22, 23 pontos.

Você acha que seria possível fazer um remake de Pantanal?

É difícil refazer esse momento emocional — era um novo momento social e político no Brasil. Pantanal é uma obra que não daria um remake. (AE)

CURIOSIDADES

Após a novela da Globo: Em 1990, o Jornal da Manchete se arrastava, à espera do fim da novela das 8 da Globo (Rainha da Sucata) para que Pantanal entrasse no ar. A estratégia se repete agora com o Jornal do SBT, que só acaba após o fim da global A Favorita.

Ibope: Na Manchete, Pantanal chegou a registrar 40 pontos de audiência, feito até hoje inédito para uma novela fora da Globo.

Globo rejeitou Juma: Benedito Ruy Barbosa só ofereceu sua saga à Manchete após ouvir um não da Globo à proposta. Juma era a personagem principal da trama.

3 comentários:

Rubia disse...

Hoje eu tenho 26 anos, na época eu tinha 8 anos de idade, logo não assisti a novela, e agora sim eu não perco um só capítulo pq pra mim não existe novela igual, é absolutamente maravilhosa, estou encantada com a novela Pantanal, tudo nela é lindo...

sandra disse...

Assisti a novela em 1990, tornei à assistir quando reprisou e estou assistindo de novo agora no SBT e podem crer, não enjoo! É uma obra maravilhosa! Dá vontade de viajar e conhecer aquilo tudo, embora talvez não seja mais como há 18 anos atrás. Eu já estive lá e sugiro q quem nunca foi, procure ir. Antes q destruam tudo ou tomem de nós. Um abraço.

Anônimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.